Quais as drogas mais consumidas pelos adolescentes?

Antes de mais nada é preciso dizer que a maioria dos adolescentes e das pessoas em geral não usa drogas ilícitas. Muitos jovens pensam que é quase uma necessidade experimentar drogas para integrar-se no grupo da sua faixa etária, mas esta é uma percepção distorcida da realidade.

As pesquisas brasileiras mostram, no entanto, que as drogas legais, como o álcool e o tabaco, são consumidas por grande parte dos adolescentes.

Um levantamento realizado em 10 capitais brasileiras, em 1997, pelo Departamento de Psicobiologia da Unifesp1 e pelo CEBRID2 revelou que entre os estudantes de ensino fundamental e médio, o álcool é a droga mais amplamente utilizada, sendo que 65% dos alunos pesquisados já o consumiu pelo menos uma vez na vida.

O uso de bebidas alcoólicas é bastante difundido na nossa sociedade e incentivado pelos meios de comunicação e até pelas famílias, como um hábito social aceito e que faz parte das festas e comemorações.

O álcool é, entretanto, a droga que maiores danos traz à sociedade, tanto pelo fato de cerca de 10% da população mundial ser dependente dele, como pelo número de acidentes e de violência ocasionados em decorrência de seus efeitos.

No caso dos adolescentes, o preocupante em relação ao álcool é a constatação de que o início do consumo tem sido bastante precoce e que seu uso freqüente ou pesado atinge cerca de 30% dos jovens.

O tabaco aparece como a segunda droga mais consumida pelos estudantes pesquisados, embora em níveis bastante mais baixos do que o álcool. Seu uso inicial também é precoce, tendo sido constatado que aos 10-12 anos cerca de 12% dos adolescentes já experimentou cigarros, ao menos uma vez. O uso pesado atinge em torno de 4,5% dos alunos deste nível de ensino.

Os solventes (ou inalantes), que incluem substâncias ilegais, como o lança-perfume, e algumas vendidas para outras finalidades, como esmalte, cola de sapateiro, fluidos, tintas, etc, são utilizados de forma abusiva por um número significativo de adolescentes (14%), sendo seu abuso considerado um problema de saúde pública, devido aos riscos causados pelos seus efeitos no sistema nervoso central.

A droga que aparece em quarto lugar entre as mais consumidas pelos estudantes pesquisados é a maconha, cujo uso, pelo menos uma vez na vida, foi relatado por 7,6% dos alunos.

A pesquisa revelou ainda que cerca de 5,8% dos adolescentes destas 10 capitais já fez uso de ansiolíticos e 4,4% já utilizou anfetamínicos.

A cocaína foi usada por 2% e, finalmente, os anticolinérgicos, barbitúricos, xaropes, orexígenos, alucinógenos e opiáceos tiveram sua experimentação ou uso relatados por aproximadamente 1% dos estudantes.

As situações de uso das diferentes substâncias são bastante variadas e dependem de pessoa para pessoa, mas sabe-se que, apesar de amplamente divulgados os efeitos prejudiciais do álcool e do cigarro, eles continuam tendo seu uso incentivado pela sociedade como associado a ocasiões festivas, à integração social ou ao sucesso.

De um modo geral, os adolescentes são mais propensos a usar drogas em situações nas quais se sentem inseguros, com necessidade de auto-afirmação ou quando, equivocadamente, julgam que seu consumo é um processo natural, inócuo ou necessário para obter prazer ou aceitação.